EXTINÇÃO POR GASES


EXTINÇÃO POR GASES

Existem diferentes agentes extintores gasosos de incêndio, os quais são seleccionados para o projeto do sistema de extinção em função de fatores como o risco a ser protegido, as características do recinto que os contém, a exposição das pessoas ao gás no momento da descarga.

Os riscos mais adequados para a proteção com gases são equipamentos elétricos, salas de informática, equipamento de telefonia, geradores de eletricidade, máquinas rotativas de impressão, salas de pinturas, arquivos de papeis e dados.

Podem agir, principalmente, por inundação total ou proteção localizada segundo o caso e o agente extintor.

Denomina-se “proteção localizada” quando o risco a ser protegido encontra-se em um espaço aberto, considerando-se, então, volumes hipotéticos e descargas adicionais de gáse uma descarga direta sobre o risco de modo a obter uma rápida sufocação deste.

A “inundação total” é a proteção de um espaço fechado, devendo-se obter concentrações e tempos de descarga determinados por normas, variando em função do risco a ser protegido e o agente extintor selecionado.

Os principais agentes extintores gasosos são:

  • GASES INERTES
  • ANIDRIDO CARBÔNICO CO2
  • GASES LIMPOS HFC- 227ea (FM-200)

GASES INERTES

Empregam-se gases como o nitrogênio ou o argônio, que são armazenados em cilindros de alta pressão, e a sua aplicação reduz a um mínimo a quantidade de oxigênio. Desta forma, só é aplicável para inertizar equipamentos com volumes pequenos, como dutos, pequenos geradores e interior de transformadores. Não se emprega em inundação total de recintos.


ANIDRIDO CARBÔNICO CO2

A sua ação extintora se baseia no deslocamento do oxigênio, precisndo de concentrações de projeto e tempos de descarga adequados para cada disco e cada sistema. Armazena-se em cilindros de alta pressão, em forma líquinda. Desta forma, o projeto dos canos de distribuição e orificios de biscos das biscos de descarga deverão permitir que o estado líquido do anidrido carbônico se mantenha até o bico de descarga, onde aí se tornará um gás.

Levando-se em consideração que as concentrações são elevadas, a quantidade de gás necessária para a extinção deve ser importante e, portanto, o custo dos equipamentos aumenta, apesar do preço reduzido do gás.

Debe-se dar atenção especial às pessoas que ocuparão os recintos que serão inundados, já que as concentrações costumam ser letais e deve-se, portanto, haver pré-alarmes, encravamentos ou dispositivos que garantam a evacuação das pessoas antes que ocorra a descarga.


GASES LIMPOS HFC-227 EA (DENOMINAÇÃO COMERCIAL FM-200)

Deve-se considerar que a sua ação extintora se baseia na ruptura da reação em cadeia do fogo, extinguindo a energia calorífica da combustão.

O seu tempo de descarga é de dez segundos no máximo e, portanto, o seu tempo de extinção é imediato, o que somado à sua propriedade de não ser nocivo para as pessoas e de não prejudicial aos equipamentos eletrônicos, é ideal para proteger este tipo de risco.


A MELISAM projeta, fornece e instala os sistemas de extinção com gases cumprindo com normas internacionaisecom equipamentos aprovados por órgãos reconhecidos para este tipo de sistemas.